NOSSA EMPRESA

Farmácia de Manipulação Veterinária para seu PET!

Envie a receita do seu pet e receba seu orçamento em até uma hora.

Onde estamos

Rua Professora Rosa Saporski, 280, Mercês 

Curitiba - PR, 80810-120

(41) 3221-7180

(41) 99935-2227

vendasvet@magistral.far.br

Horários

Segunda a Sexta das 9h-18h

Sábado das 8h-12h

  • logo-whatsapp-circulo
  • Facebook
  • Instagram
Buscar
  • Anna Amaral

Conheça as doenças respiratórias que atingem os animais no inverno

Saiba como prevenir e entenda os melhores tratamentos para animais no inverno



Os animais no inverno, assim como nós, estão mais susceptíveis a doenças respiratórias, em geral estas doenças podem atingir as vias aéreas superiores como as rinotraqueites, e as vias aéreas inferiores como as bronquites, pneumonias e as broncopneumonias. As otites (inflamações de ouvido) também estão presentes. Estes pacientes podem apresentar, entre outros sinais, tosse, espirros, secreções nasais e oculares, bem como febre, dor e apatia.


Segundo o veterinário Rodrigo Trindade, a incidência, virulência e patogenia, dependem do hospedeiro, agente etiológico e de fatores externos. “Filhotes e idosos estão entre os mais vulneráveis, os que vivem em populações estão sob risco maior de contrair doenças infectocontagiosas, O veterinário alerta que os cães e gatos podem e devem ser vacinados contra as doenças respiratórias anualmente, e é importante certificar-se de que as vacinas estão em dia através da carteira de vacinação. Também é importante se informar nos locais (creche, hospedagem e banho e tosa) sobre o controle de contato com outros animais. Outra forma de prevenção é a suplementação de vitaminas prescrita pelo veterinário e manipuladas em farmácias de confiança, para garantir a dosagem certa para cada animal.


O tratamento varia conforme a enfermidade e os sinais clínicos, em algumas situações, são necessários exames complementares de laboratório e internação para cuidados intensivos. O profissional capacitado para determinar o tratamento é o Médico Veterinário. Rodrigo ressalta que os pacientes veterinários são de várias espécies: cães, gatos, aves, repteis, entre outras. Mesmo entre os cães existe aquele que pesa 1kg e aquele que pesa 65Kg, por isso, a posologia se torna um desafio para o médico veterinário, não obstante, existem pacientes os quais os donos não conseguem administrar as medicações, por serem indóceis ou de paladar seletivo. Por este motivo é comum os Médicos Veterinários recorrerem à farmácia de manipulação na hora de fazer a prescrição. “A adequação à necessidade individual de cada paciente representa na maioria das vezes o sucesso do tratamento”, finaliza o especialista. Para ajudar na aderência ao tratamento as farmácias de manipulação veterinária têm opções de formas farmacêuticas diferentes como biscoito, pasta, xaropes, pós aromatizados e muitas outras opções para que o animal aceite o medicamento.


Conheça outras doenças respiratórias que acometem os animais no inverno:


Traqueobronquite (Tosse dos Canis): é mais comum no inverno, mas pode ocorrer durante todo o ano, uma vez que sua transmissão é muito rápida entre os cachorros, sendo provocada por vírus ou bactérias. Ela começa com uma tosse simples e garganta inflamada, mas, se não tratada a tempo, pode evoluir para um quadro de pneumonia.


Gripe canina: é parecida com a dos seres humanos, causada pelo vírus H3N8. Os principais sintomas são febre, tosse persistente, coriza e espirros. Em alguns casos, o cachorro não demonstra nenhum desses sinais, mas ainda assim pode transmitir a doença, e a propagação é fácil entre outros cães.


Rinotraqueite: é mais comum nos filhotes de gatos, mas, uma vez adquirida, 80% dos felinos continuam portadores. Dentre os sintomas estão a secreção nasal e ocular, dificuldades para respirar, febre e desidratação. A prevenção é feita com uma vacina contra o herpesvírus, agente causador da doença, transmitida pelo contato.


Pneumonia e Broncopneumonia: são inflamações, que costumam acometer os animais de forma aguda. Ambos têm características levemente distintas e variam quanto ao agente causador, a idade do cão e a doença que levou a haver uma pneumonia no cachorro. Além disso, depende do estado nutricional e do sistema imunológico de cada paciente. A inalação de corpos estranhos e líquidos também torna o animal mais vulnerável.

26 visualizações
  • whatsapp-icone
  • instagram-topo
  • facebook-topo
simbolo-logo.png